25 de setembro de 2017

EM MEMÓRIA DA #CASA DA ÁRVORE... PORQUE CINZAS SÃO ÓTIMO ADUBO.

MUTIRÃO DE DOAÇÃO DE MUDAS DO BOI ROSADO AMBIENTAL LEVA CENTENAS DE PESSOAS AO PARQUE MUNICIPAL NESTE DOMINGO

Mudas de diferentes espécies doadas neste domingo.
Celebrando o Dia Nacional da Árvore, comemorado no dia 21 de setembro, participei neste domingo (24) de mais uma ação de doação de mudas no Parque Municipal, em Belo Horizonte.
Esta é uma ação promovida pelo parceiro Boi Rosado Ambiental, que tradicionalmente promove 4 ações anuais no local. Nesta doação, 500 exemplares de diferentes espécies frutíferas e outras espécies nativas brasileiras foram distribuídas a um público que ultrapassou o número de mudas e que se organizou em uma longa fila, formada antes mesmo das 10 horas, horário marcado para o início da atividade.

A população se organizou em uma longa fila para receber a doação das 500 mudas levadas para o parque.

O grupo formado pelos voluntários presentes, coordenados pelo idealizador e fundador do projeto, Severino Aiabá se revesou nas atividades de receptivo, orientação sobre as características das espécies e cuidados no replantio e podas, além de atender e orientar as pessoas que desejam se unir voluntariamente ao Boi Rosado Ambiental.

Ao lado do coordenador do projeto e outros voluntários pude participar de mais uma linda doação de mudas.
O projeto é mantido de forma colaborativa, com a persistência e conhecimentos de seu fundador, ações entre amigos e doações dos voluntários que se alternam nos mutirões mensais de plantio que acontecem no viveiro próprio do projeto e auxiliam na compra de insumos necessários à produção.

Coordenadores e voluntários prestaram assistência ao público com orientações diversas.

#casadaárvore
Foto: Sandra Melo


Enquanto pela manhã eu celebrava com alegria o replantio de centenas de mudas, não poderia imaginar que, em poucas horas, um sonho plantado sob e sobre uma frondosa árvore localizada na avenida Barão Homem de Melo, na região Oeste da capital, seria totalmente destruído.
A "Casa da Árvore", como ficou conhecida uma instalação de dois andares e quatro cômodos construída com resíduos coletados por moradores de rua, era uma luta resistente pela cultura. Ela abrigava, sob a generosidade da copa de uma mangueira, um espaço cultural dos mais originais. Ali foi instalada uma biblioteca com cerca de 1000 livros recolhidos no lixo por seus idealizadores ou doados por simpatizantes do espaço. 

A biblioteca Casa da Árvore servia indistintamente e de forma gratuita a quem por ali passasse e desejasse colher uma folha de leitura e saciar seu desejo pelos frutos do saber. 
Tristeza: Gleici, responsável pela biblioteca da Casa da Árvore, após o incêndio
Foto: Reginaldo Silva
No entanto, no início da noite deste domingo (24) , a Casa da Árvore foi destruída por um grande incêndio que a consumiu por inteiro. 

Ontem também havia sido um dia feliz na Casa da Árvore.  Ao longo do dia, com música e lanche, moradores do bairro ocuparam o espaço, como parte de um  movimento para que a Casa da Árvore recebesse autorização para permanência no local, já que nem todos apoiavam ou simpatizavam com a iniciativa de Klinder Rodrigues e seus companheiros.  No último dia 13, a prefeitura da capital tinha entregue uma notificação determinando o despejo imediato daqueles que ousaram sonhar com cultura e respeito à sombra de uma mangueira.
O incêndio foi implacável. Até as folhas da mangueira foram queimadas junto com todo o acervo da biblioteca. Restou apenas a placa com o dizer #casa da árvore.

Eu compartilho desta tristeza que se abate sobre todos que apoiavam este projeto e desejo que , como as árvores, o ideal representado pela Casa da Árvore tenha criado raízes profundas. E que todos saibam (principalmente aqueles que eram contrários): cinzas são ótimo adubo. 


Para saber mais sobre a história da Casa da Árvore:

 

Para conhecer mais sobre o Boi Rosado Ambiental e para se voluntariar acesse: https://boirosadoambiental.blogspot.com.br/

18 de setembro de 2017

Associações e grupos ligados à preservação e defesa ambiental se reúnem para a preparação da "III Caminhada com Francisco em defesa do meio ambiente e pela paz".

Representantes de diferentes associações e movimentos de defesa ambiental presentes à reunião.
Aconteceu hoje, na sede do Vicariato Episcopal para a Ação Social e Político (bairro da Lagoinha/BH), a segunda reunião de preparação da "Caminhada com Francisco em defesa do meio ambiente e pela paz". De 9 às 10h30,  representantes de diferentes associações, grupos e movimentos ligados à preservação e defesa ambiental trataram de vários aspectos da organização do evento programado para acontecer no domingo, 8 de outubro, das 9 às 13 horas.

A Caminhada com Francisco será, como nos anos anteriores, um ato em defesa do meio ambiente e esta terceira edição será inspirada na recente Carta Encíclica do Papa Francisco Louvado Sejas - sobre o cuidado da casa comum e pelo tema da Campanha da Fraternidade, Biomas Brasileiros e Defesa da Vida.

Neste ano, a caminhada acolherá a região Nossa Senhora Piedade que está relacionada ao entorno geográfico e aos movimentos de Defesa da Serra do Curral. O objetivo desejado é que a caminhada possa se transformar em um  ato de confluências de lutas e dar maior visibilidade para as questões e ações de defesa da Serra do Curral, além do conjunto de ações e mobilizações dos diferentes movimentos da Região Metropolitana.


PRESENÇAS
Maria Reciclona - Núcleo de Ações para a Sustentabilidade e seu parceiro Boi Rosado Ambiental estiveram presentes na reunião, ao lado de representantes dos Movimentos de Preservação da Serra do Gandarela , do Parque Estadual da Serra do Rola Moça, do Movimento da Fé e Política da Paróquia Verbo Divino, do Movimento Serra Sempre Viva, do MAM - Movimento das Associações de Moradores de Belo Horizonte, da Associação dos Moradores do Mangabeiras, do GOM&UJA- Grupo Organizado Moradores e Usuários Jardim América  e PARQUE JÁ,  da Pastoral Afro Brasileira, da UNIVIVAS e do Movimento Amigos da Serra do Curral, além de membros do Vicariato Social.

PRÓXIMA REUNIÃO
Nesta reunião foram tratados aspectos ligados à infra estrutura, mobilização para o ato, divulgação, atividades a serem desenvolvidas no local da concentração  (Praça do Papa) e chegada da caminhada (Parque da Serra do Curral) e novas ações como a criação de um evento público em rede social  para divulgação e atualização das ações, a doação de mudas de árvores no evento por parte do Boi Rosado Ambiental, entre outras contribuições.
A próxima reunião acontecerá no dia 26 de setembro, às 9 horas na sede do Vicariato Episcopal ( Rua Além Paraíba, 208 - Bairro Lagoinha - tel (31) 3261-2764) .



I Fórum Municipal Lixo Zero Belo Horizonte: venha participar comigo de um bate papo sobre Educação e Conscientização.


Na próxima sexta-feira, 22 de setembro, acontece o I Fórum Municipal Lixo Zero Belo Horizonte. Estarei participando do painel Educação e Conscientização ao lado de outros profissionais da área de sustentabilidade.  Pretendo, neste bate papo, contar sobre minha experiência como educadora ambiental e falar um pouco sobre a prática deste exercício.
Confiram a programação e sintam-se convidados. Até sexta.





14 de setembro de 2017

Vamos decorar caixas com filtro de café usado? É fácil e fica lindo!


Eu amo um cafezinho coado na hora. Mas se tem algo que eu gosto igualmente, é reaproveitar ao máximo os resíduos. Desta forma, preparei este tutorial mostrando como reutilizar os filtros de papel em um belo projeto.
O filtro de café usado pode ser reutilizado para fazer uma variedade de artesanatos e é adequado também para decoupage. Pode ser aplicado sobre diversos materiais tais como madeira, vidro, papelão, metal entre outros, resultando em lindos objetos decorativos e utilitários. 
Basicamente, você precisará apenas de cola e filtro de café. Mas para você reutilizar o filtro em artesanatos, será necessário prepará-lo como verá a seguir.




MATERIAIS:
- Caixa em MDF
- Filtros de café usados
- Cola branca ( recomendo a cola branca PVA Extra Tekbond)
- Vinagre
- Verniz ou Cera incolor
- Pincel
- Lixa

PREPARANDO A COLA:
Utilize a Cola Branca PVA Extra Forte Tekbond e siga esta  dica para evitar que,  devido ao uso de material com resíduo orgânico, depois de algum tempo possam aparecer manchas de mofo no seu trabalho: misture água e cola, em partes iguais e acrescente 2 colheres de sopa de vinagre.


COMO PREPARAR O FILTRO DE CAFÉ:
- Após a filtragem do café, deixe escorrer completamente o líquido.
- Descarte o excesso de pó e deixe-o para secar.
- Quando estiver totalmente seco, abra com as mãos ou recorte toda a parte onde ele está colado
- O pó que restou você pode retirar usando um pincel ou uma escova de dente velha.
Obs.: Se quiser o aspecto mais manchado deixe mais pó no filtro ao levar para a secagem, retirando-o após. O efeito de diferentes tonalidades fica muito bonito.


DECOUPAGEM SOBRE UMA CAIXA EM MDF:
- Inicie rasgando os filtros em pedaços desiguais e vá colando sobre toda a superfície da caixa, sempre com a parte onde estava o pó (a parte de dentro do filtro) voltado para baixo.
- Vá sobrepondo as tiras até que complete a superfície escolhida. 
- Passe a cola com um pincel para colar e por cima do filtro também, para que não se solte facilmente.
- Fique atenta quanto à coloração, tente intercalar os tons para que fique com uma bonita harmonia.
- Para finalizar a peça, aguarde a secagem completa. Logo após, apare os excessos e depois passe uma camada de verniz em toda a superfície, e, se for necessário, passe uma segunda camada.
Você pode utilizar também, cera incolor.


Até a próxima. Espero que tenha gostado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...